Saúde do couro cabeludo

SAIBA COMO TRATAR O SUOR EM EXCESSO

05/01/2017 por Drª Anaflávia Oliveira

blog-folyic-saiba-como-tratar-suor-em-excesso-imagem
blog-folyic-saiba-como-tratar-suor-em-excesso-imagem

05/01/2017

SAIBA COMO TRATAR O SUOR EM EXCESSO

por Drª Anaflávia Oliveira

0

SUDERESE EXCESSIVA NO ROSTO, COURO CABELUDO, AXILAS E PALMAS DAS MÃOS TEM TRATAMENTO.

Com certa frequência, os pacientes comentam comigo que suam em excesso. A região varia, é comum a queixa na região da axila, outros se queixam da palma da mão e poucos se queixam da face, incluindo o couro cabeludo. Apesar de pouco frequente na face e couro, quem tem acaba se sentindo muito incomodado com a situação e acabam passando por alguns constrangimentos. Hoje, gostaria de conversar com vocês sobre isso e tirar algumas dúvidas mais frequentes.

O suor excessivo, ou seja, a hiperidrose é caracterizada pela transpiração (sudorese) excessiva e incontrolável, podendo surgir sem qualquer fator desencadeante aparente, tanto em homens quanto mulheres em qualquer faixa etária. Atinge cerca de 1% da população e é comum ter história familiar. Alguns casos, estão associados a lesão de pele ou odor fétido.

 
SOBRE A HIPERIDROSE
Está comumente associada à hiperatividade do sistema nervoso autônomo simpático, que gera aumento do tamanho e/ou aumento da produção de secreção das glândulas sudoríparas écrinas (as glândulas de suor). Isso pode ocorrer de forma idiopática (forma primária) ou como consequência de uma patologia/doença base (forma secundaria).

 
Causas:

  • Hipertireoidismo
  • Diabetes
  • Medicamentoso
  • Neoplasias
  • Infecções
  • Obesidade
  • Idiopática
  • Reações Psicossomáticas

 
Locais de acometimento:

  • Testa e couro cabeludo
  • Palma das mãos
  • Planta dos pés
  • Axilas
  •  
    Condutas:

    • Investigar as causas
    • Solicitar exames laboratoriais
    • Verificar medicações em uso
    • Excluir as doenças que causam o quadro
    • Detectar os fatores de piora

    Portanto, para controlar a sudorese excessiva, precisamos primeiramente passar por todas essas etapas, antes optar pela forma de tratamento.

     
    TRATAMENTO DA HIPERIDROSE PRIMÁRIA

     

     Os tratamentos mais eficientes para sudorese (suor) excessiva é a aplicação de toxina botulínica ou a cirurgia (simpatectomia). A toxina age bloqueando a liberação do neu­rotransmissor acetilcolina, ou seja, a transmissão sináptica, produzindo desnervação química da glândula e cessação temporária da sudorese excessiva. Seu efeito terapêutico é temporário (4 meses a 12 meses, com duração média de 7 meses) com a desvantagem de ter um custo elevado.

    O constrangimento, o isolamento, o incômodo físico, as alterações psicológicas, a baixa autoestima e outros problemas relacionados ao convívio social são exemplos das consequências que essa afecção pode causar a seus portadores. (Dias, 2011)

    Há um círculo vicioso neste processo, pois a hiperidrose gera tensão emocional que por sua vez, piora os sintomas. Cuidar do paciente com um olhar atento às suas questões emocionais e ter liberdade de tocar neste assunto durante a consulta e saber orientá-lo pode trazer grandes benefícios ao paciente e seu quadro clínico.

     
    REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

    – Study of patients with hyperhidrosis treated with botulinum toxin: a 10-year retrospective analysis

    Gilberto Marcos Dias Dos reis1 ana cristina silva Guerra2 João Paulo aMaral Ferreira, Trabalho realizado no Serviço de Cirurgia Plástica do Centro Hospitalar de Lisboa Central, Lisboa, Portugal.