Beleza dos fios

LUZES E MECHAS NOS CABELOS FINOS

01/02/2018 por Amanda Barbeito

LUZES, MECHAS, DESCOLORAÇÃO, LOIRO, CABELOS FINOS
LUZES, MECHAS, DESCOLORAÇÃO, LOIRO, CABELOS FINOS

01/02/2018

LUZES E MECHAS NOS CABELOS FINOS

por Amanda Barbeito

0

ENTENDA O IMPACTO DO LOIRO NOS FIOS

Já escrevi sobre cabelos descoloridos aqui no Blog, mas ainda não tinha explicado especificamente das luzes e mechas nos cabelos finos, sendo assim, achamos importantíssimo ressaltar para vocês sobre os cabelos que mais sofrem nas alterações químicas, os cabelos de espessura fina.

Visualmente falando, os cabelos finos aparentam ser pouco, ou mais sensíveis e macios ao toque. Mas, quando analisamos a estrutura desse fio microscopicamente, descobrimos uma infinidade de peculiaridades desses queridos. Começando de fora pra dentro, existem análises e estudos que dizem e comprovam que os cabelos mais finos têm uma menor quantidade de cutículas, e que existe uma grande quantidade deles que não possuem a “medula”, que é a parte mais interna do cabelo — até hoje não descobriram uma função exata pra ela, mas o que se acredita é que daria peso ao fio.

Temos, então, duas estruturas aparentemente importantes que os cabelos finos não possuem e é aí, então, que colocamos a associação entre tudo isso com a descoloração.

Como o cabelo fica loiro durante as luzes ou mechas?

Assim como eu mencionei em outros textos, a descoloração tem como foco atingir melaninas e pigmentos artificiais que dão a cor do cabelo que ficam situados sobre o córtex e camadas cuticulares. Por uma oxidação da cutícula, em que ela fica visualmente inchada, o persulfato de sódio que é um agente removedor consegue penetrar sob camadas cuticulares, atingido os pigmentos e as melaninas ali presentes, deixando esse fio ausente de estruturas importantes que dão a cor exata aos cabelos.

Eu sempre tive uma enorme curiosidade em saber se quem agride o fio é o persulfato ou a água oxigenada e, em algumas pesquisas que eu fiz, consegui concluir que quem danifica realmente o cabelo por maior tempo em contato é o persulfato, não a água oxigenada. Ou seja, não adianta você ter um cabelo fino e o seu cabeleireiro achar que, por isso, o ideal é deixar uma água oxigenada de baixo volume em mais contato com o fio, pois ele só estará danificando mais. O ideal, então, é colocar uma água oxigenada de volume maior por menos tempo em contato com o fio. Exige técnica e experiência por parte do profissional.

Pensando e analisando dessa forma, se os cabeleireiros acham que o cabelo fino precisa ficar em mais contato com uma volumagem baixa de Ox para realizar uma descoloração, para não danificar o cabelo, temos um probleminha, né?

Se a água oxigenada é o que em mais denegri essa fibra, imagina o que vai acontecer se o cabelo já tiver uma quantidade menor de cutícula e a ausência de medula? Consequentemente, ele ficara mais fino porque, além da sua ausência natural de estrutura, ele também não terá melaninas e outros agentes importantes situados no córtex que foi oxidado pelo contato a água oxigenada.

Sabendo de tudo isso, vale a importância e a maior atenção pra esse tipo de cabelo, já que, uma vez perdida sua estrutura, nunca mais conseguimos recuperar. Não esqueça que, nosso fio está morto e toda composição dele foi adquirida lá na derme, quando esse fio ainda recebia informação e nutrientes pela papila dérmica.

Vocês podem me perguntar…

Amanda, quer dizer que se eu tenho cabelo fino eu não posso clarear, fazer luzes, mechas ou qualquer tipo de descoloração?! Eu gosto de ser loira. O que devo fazer?

Pode clarear, mas depende de como está seu cabelo, dos cuidados e da técnica. Antes de agendar, faça uma avaliação.

Cuidados antes, durante e depois de fazer descoloração, luzes e mechas nos cabelos finos

  • Quando decidir clarear o cabelo, o profissional deverá fazer um preparo, deixando esse fio apto para receber o processo de descoloração. Eu disse pra vocês que na descoloração ele perde muito da pouca estrutura que ele tem, então crie barreiras para que o descolorante tenha o menor impacto possível sobre o fio. Ou seja, shampoos de tratamentos, máscaras de hidratação, protetores térmicos, fora alguns tratamentos mais profundos oferecidos em alguns salões de confiança e por um Terapeuta Capilar qualificado.
  • O segundo passo importantíssimo está na escolha do profissional. Tome cuidado com aqueles que postam muito cabelos maravilhosos, mas que não têm embasamento nem conhecimento científico algum para estar fazendo aquilo. Saber também se a marca do descolorante e colorações que o profissional usa são reconhecidas e de confiança.
  • Na hora da descoloração, é importantíssimo o uso de um protetor térmico nos fios antes do processo, de preferência, os que são em spray e à base de água, para criar uma leve barreira protetora sobre os fios antes do clareamento.
  • No dia da descoloração, o cabelo deve estar limpo, devemos contar apenas com a adição do protetor na hora de clarear o cabelo. Sabe por quê? Óleo + Persulfato = Sabão. E não queremos uma reação química a mais, não é mesmo?!
  • Tomando todos esses cuidados iniciais, quando terminar o processo de descoloração, já se é observado que esse fio teve menos alterações de estrutura, mas devemos lembrar que os componentes perdidos no processo foram, principalmente, aqueles depositados no pré-processo. Então, quando terminar a descoloração, de imediato, deve-se realizar um tratamento de reconstrução ou hidratação nos fios e manter com frequência nos meses seguintes.

Os profissionais que fazem luzes (descoloração) sabem a importância de fazer os tratamentos e a manutenção desse cabelo que passou por um processo químico, mensalmente.

É importante explicar e conscientizar o cliente que, muitas vezes, não entende a importância.

Esse é meu segredo, e eu adorei desvendar tudo isso pra vocês!

Seguindo todos esses passinhos, os cabelos se mantêm sempre bonitos, loiros e saudáveis. Todo mundo gosta, quer e busca isso, mas não entendem o passo a passo para chegar em tal resultado.

Perguntamos à equipe médica da Folyic, o que eles orientam quando a paciente quer fazer mechas ou luzes. É permitido?

O cabelo afina ao fazer luzes ou mechas. Isso é um fato e explicado cientificamente.

Não somos contra realizar procedimentos químicos nos cabelos. Tudo depende das condições que se encontra o cabelo e sua constituição. Às vezes, é necessário esperar e tratar o cabelo meses antes. Cabe ao médico, tricologista ou terapeuta capilar fazer essa análise. O paciente não sabe quando o cabelo suportará ou não. Além disso, os cuidados pré e pós desse tipo de procedimento, infelizmente, são facilmente ignorados. Cabe ao profissional explicar a importância e o impacto que tais medidas causam no resultado final e orientar sobre a manutenção no salão/clínica e em casa. Não é nada fácil ter um cabelo com química, saudável e bonito. Requer uma série de cuidados e disciplina. Os cabelos finos são os que mais sofrem e se danificam com as luzes e/ou mechas. Isso porque esse tipo de química degrada cadeias proteicas, reduzindo ainda mais a espessura de um cabelo que já é fino por natureza. Mais uma vez, o cuidado integral e multidisciplinar são fundamentais para se chegar em resultado desejado. Por isso, antes de fazer qualquer química, converse com seu tricologista. Ele saberá te orientar.

 

Quer conhecer mais sobre os tratamentos capilares realizados pela nossa equipe multidisciplinar na Clínica Folyic?

Acesse www.folyic.com.br  ou ligue para (11) 2769-1796 / 96919-0354.

Referências Bibliográficas:
Harry’s Cosmetology, “The Hair”, edited by J.B. Wilkinson and R.J. Moore, 7 th edition (1984).
Robbins, C.R.; “Chemical and physical behavior of human hair”, 4 rd ed., Springer-Verlag, New York (1994).
Nakano, A.K.; Joekes, I.; “Comparação de danos induzidos em cabelos de três etnias por diferentes tratamentos”, Dissertação de mestrado, Instituto de Química, UNICAMP (2006).
Scanavez, C.; Silveira, M.; Joekes, I.; “Human hair: color changes caused by daily care damages on ultrastructure”, Colloids and Surfaces B, Biointerfaces, 28, 39-52 (2003).
Wagner, R.C.C.; Joekes, I.; “Degradação do cabelo decorrente do tratamento contínuo com lauril sulfato de sódio e silicone”, Tese de mestrado, Instituto de Química, UNICAMP (2003).
Tucci, A.M.F.; “Propriedades físico-químicas de cabelo: Desenvolvimento de métodos de avaliação de alterações estruturais induzidas por radiação”, Tese de mestrado, Instituto de Química, UNICAMP (1989)