Seja bem-vindo! Este é um espaço especialmente elaborado para você que procura informações sobre tratamento capilar, saúde e beleza dos cabelos com embasamento técnico-científico.

Link Úteis
Menu Fechar
Evelize Bratfisch

Evelize Bratfisch

Evelize Bratfisch

Evelize é uma mulher empreendedora e ao mesmo tempo doce e prestativa. Adora ensinar sobre composição de cosméticos e está aqui para nos ajudar a separar o joio do trigo dentro da indústria dos cosméticos. E nós agradecemos :)

Especialidade

Química, Cosmetóloga e Tricologista.

Currículo

  • Formada em Química com ênfase em Desenvolvimento e Produção de Cosméticos;
  • Pós-Graduanda em Tricologia Cosmética pelas Faculdades Oswaldo Cruz;
  • Gerente de Produtos na empresa La Beauty Cosméticos.

Publicações da autora

27/09/2018

COLORAÇÕES CAPILARES: QUAL A MELHOR PARA OS CABELOS?

por Evelize Bratfisch

“A coloração é um assunto complexo e deve ser abordado de forma muito criteriosa pelo profissional, pois essa química pode ocasionar uma série de problemas que são, na maior parte das vezes, subestimados pelos pacientes e subdiagnosticados pelos médicos. Também é alvo de muito marketing pelas empresas causando confusão na cabeça do consumidor. As vezes, as ditas ‘naturais’, não são tão naturais assim. As ‘livres de amônia’ não significa isentas de riscos. Percebo que muitas pacientes não sabem a marca que estão utilizando e muitas ainda compram as opções mais baratas. Quando falamos de química capilar, priorize sempre a qualidade, não o preço. E principalmente se você já apresenta algum problema capilar, procure um profissional para orientá-lo. Testes podem ser necessários e a escolha correta pode fazer toda a diferença na saúde e beleza do seu cabelo.” – Comenta a Dra Anaflávia Oliveira, nossa médica e tricologista pela International Association of Trichologists.

E nesse sentido, a química com pós-graduação em Tricologia Evelize Bratfisch, trouxe para vocês um pouco de informações mais detalhadas sobre os tipos de coloração e corantes presentes no mercado. Espero que gostem!

Olá, pessoal! Como química, resolvi escrever sobre os tipos de coloração existentes no mercado para quem costuma colorir os cabelos, levando em consideração o mecanismo de ação, sua durabilidade e composição.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE CORANTES?

Quimicamente, temos 4 formas de colorações do cabelo:

  • Corantes naturais e corantes metálicos
  • Corantes temporários
  • Corantes semipermanentes
  • Corantes oxidativos

COLORAÇÃO VEGETAL

Algumas substâncias presentes em diferentes espécies botânicas têm afinidade pela queratina do cabelo.

Os corantes vegetais são orgânicos e podem ser removidos facilmente. Eles se depositam superficialmente sobre a cutícula, formando uma barreira colorida e impermeabilizante. Por exemplo:

Henna

Deposita-se no interior do pelo, produz cores estáveis e é atóxica. A sua cor original é de tons vermelhos a alaranjados, e quando é aplicada em cabelos brancos, tinge de laranja. Também serve para colorir as unhas, pois tem afinidade com a queratina.

Índigo

Após a fermentação das folhas, apresenta uma cor azul esverdeada. Ao ser misturada à Henna, produz tons do marrom ao negro.

Camomila

A Camomila deposita sobre os fios alguns compostos de flavonoides de coloração amarela. Possui baixa fixação.

COLORAÇÃO METÁLICA

É um tipo de coloração por deposição e deve ser usada diariamente. Devido a oxidação causada pelo ar, os complexos metálicos desenvolvem a cor gradualmente.

Utiliza metais de transição, pois eles são coloridos. A reação dos metais da coloração com o enxofre da queratina do cabelo forma um sulfato metálico que colore e altera a tonalidade do fio. Também adiciona-se enxofre ao produto para melhorar sua performance.

Os sais metálicos apresentam cores que vão do marrom ao preto (Chumbo, Prata, Cobre, Niquel e Bismuto). É de fácil aplicação e não há controle sobre a cor final dos cabelos. São extremamente tóxicos e deixam os fios esverdeados nas primeiras aplicações.

COLORAÇÕES COMPOSTAS

Mistura de Henna, Índigo, Pirogalol, Sais de Níquel, Ferro e Cobalto na presença de um agente redutor. A maioria dos produtos em creme são uma mistura de henna e corantes sintéticos. O ácido pirrogálico é usado para fazer com que o tingimento alcance nuances mais escuras.

COLORAÇÕES SINTÉTICAS

São moléculas sintéticas inspiradas nas naturais ou em precursores químicos de núcleos cromóforos (regiões da molécula responsáveis por absorver certos comprimento de ondas da radiação visível).

A química orgânica sintética proporcionou resultados de corantes melhores que os naturais e aumentou a gama de cores. Para colorir o suficiente e ser utilizada como corante, a molécula deve ser relativamente grande, ter um extenso número de ligações π conjugadas e grupos doadores de elétrons contendo nitrogênio, enxofre e/ou oxigênio. Corantes sintéticos são muito alergênicos, podem causar graves tipos de dermatites, irritações oculares e asma.

Nas colorações permanentes ou semi-permanentes, combinam-se moléculas grandes (corantes acopladores e/ou pequenas (corantes precursores). Os dois tipos se polimerizam dentro da fibra na presença do oxidante, cobrindo a melanina.

Temos quatro tipos de colorações sintéticas: temporária ou progressiva, semi-permanente, demi-permanente e permanente. Na tabela abaixo, verifica-se a diferença entre elas:

PROGRESSIVO SEMI-PERMANENTE DEMI-PERMANENTE PERMANENTE – COM AMÔNIA
Lavagens 1 – 2 xampus 6 – 8 xampus 6 – 8 semanas Permanente
Efeito Clareador Nenhum Nenhum Nenhum Pouca amônia – 1 tom, normal – 2 tons, muita amônia – 3 tons
Cobertura de Brancos Nenhuma Máximo 30%(Primeiros fios) Máximo 50% Pouca amônia – até 70%
Normal ou Muita – 100%
Coloração Somente reflexos Mesmo tom ou mais escuro Mesmo tom ou mais escuro Mesmo tom, mais claro ou mais escuro (com ou sem reflexos)
ProdutoFinal Pronto para o uso Pronto para o uso ou pausa para aplicação Misturar antes do uso: 1 parte do colorante + 1 parte do oxidante (H2O2), respeitar a proporção e o tempo de aplicação

Benevides, Paulo JC, 2012.

Temporário ou Progressivo

São corantes básicos ou ácidos de alto peso molecular e solúveis em meio aquoso. São moléculas grandes que não conseguem atravessar a cutícula dos cabelos sob condições normais. Pertencem às classes AZO, Antroquinona, Trifenilmetano, Xanténico e Benzoquinonaimina. De respeitar o pH de aplicação, caso contrário a cor pode mudar.

Sistema Semi-Permanente

Possuem baixo peso molecular, e na grande maioria, são corantes derivados de nitro-compostos (proporcionam tons do amarelo ao laranja, impossíveis de alcançar com os corantes oxidativos, sobretudo no tom cobre). Eles penetram na cutícula do cabelo, se depositam no córtex e não são removidos facilmente. Geralmente são misturados de 10 a 12 corantes diferentes para obter a cor desejada. Não se dissolvem em água e a aplicação precisa ser uniforme.

Sistema Demi-Permanente e Permanente

O que difere as duas é que na primeira o alcalinizante é a Monoetalonamina (MEA), e na segunda é o Hidróxido de Amônio (NH4OH). O alcalinizante NH4OH amacia e abre a cutícula do cabelo, permitindo que a mistura de corantes chegue mais rapidamente ao córtex.

Na tintura permanente, a cor só é formada quando misturamos a água oxigenada (que é o oxidante) com o conteúdo da bisnaga na qual estão os corantes e o alcalinizante (ele mantém o ph entre 9,0 e 10,5).

A reação química entre corantes em meio alcalino e na presença de oxidante pode revelar tonalidades mais claras ou escuras, ajustando a proporção dos corantes e oxidantes.

É o único tipo de tintura que clareia o cabelo. Proporciona uma abertura demasiada das cutículas, necessária para a absorção de corantes pelo córtex. Como consequência deste mecanismo, diminui a maciez e brilho dos fios, aumentando o esforço necessário para penteá-los.

Toxicidade

Estudos sobre a possibilidade das tinturas causarem mutações em fetos ou serem cancerígenas são pouco conclusivos. Todas as pesquisas foram feitas somente com os corantes, e não com as colorações finais.

Converse antes com seu cabeleireiro e com os profissionais que cuidam do seu cabelo para saber se você pode usar colorações capilares e quais as melhores opções para o seu caso, levando em consideração seu histórico e condições que se encontra seu cabelo!

www.folyic.com.br

Instagram: @folyic_tratamento_capilar

Facebook: Folyic Tratamento Capilar

11/09/2018

Xampu infantil serve para adultos?

por Evelize Bratfisch

ADULTOS TAMBÉM PODEM USAR XAMPU INFANTIL?

Muitas pessoas utilizam xampu infantil até hoje e dizem que esse é o segredo para os cabelos ficarem bonitos. Mas será que um produto feito para crianças também funciona nos adultos? Leia mais

16/07/2018

XAMPU ANTIQUEDA FUNCIONA?

por Evelize Bratfisch

EXISTEM DIVERSOS PRODUTOS NO MERCADO QUE PROMETEM EVITAR A QUEDA CAPILAR, COMO OS XAMPUS ANTIQUEDA. MAS SERÁ QUE ELES REALMENTE FUNCIONAM?

Como química, gostaria de lembrá-los que, segundo a ANVISA, os xampus antiqueda são classificados como produtos “grau 2”, ou seja, precisam ser testados para assegurar sua eficácia e segurança. Leia mais

15/12/2017

VOCÊ CONHECE O ESPECIALISTA EM COSMÉTICOS CAPILARES?

por Evelize Bratfisch

E COMO ELE PODE TE AJUDAR NAS ESCOLHAS DOS PRODUTOS?

Olá Pessoal! Eu escrevo para o blog explicando para vocês sobre os produtos cosméticos e química capilar, mas mesmo assim, muitas pessoas confundem o que faz cada um dos tricologistas que fazem parte da equipe FOLYIC. Vou explicar um pouco melhor a vocês. Leia mais

13/10/2017

Você sabe o que significa Low Poo e No poo?

por Evelize Bratfisch

ENTENDA MAIS SOBRE COMO ESCOLHER SEU SHAMPOO

Olá Pessoal! O tema de hoje é bem atual, gera um pouco de confusão, mas eu explicarei a vocês de uma forma bem simples.

São dois produtos diferentes, cada um voltado para um tipo de público. Em uma tradução livre NO POO® – NENHUM XAMPU consiste em não utilizar shampoo para lavar os cabelos, usando apenas condicionador isento de silicones insolúveis em água, enquanto o LOW POO® – POUCO XAMPU utiliza-se uma pequena quantidade de um tipo específico de shampoo voltado para essa técnica, sem petrolatos e sulfatos fortes em sua composição (BENDER, MASSEY & CHIEL, 2011). Leia mais